Feeds:
Posts
Comentários

Posts com Tag ‘farinha de osso’


Eu tinha dificuldade de adubar minhas forrações como as azulzinhas e rabos de gato e por isso usava adubos químicos líquidos para elas. Como eu sempre prefiro adubos orgânicos comecei a pesquisar alternativas e um dia achei no blog da Grasi uma sugestão para dissolver o húmus em água.
Desde que encontrei essa sugestão comecei a usar, mas o húmus não dissolvia completamente, sempre sobrava mais no fundo do regador do que efetivamente dissolvia na água e com isso caía um pouco de húmus por cima das folhas das plantas e não achei que esse método fosse tão eficiente.
Pensando sobre como melhorar a adubação das minhas forrações eu resolvi preparar o adubo em garrafas de plástico de 500 e 350ml dessas de água que a gente compra e sempre voltam pra casa na bolsa ou vão pro lixo direto. Para preparar eu coloquei o húmus na garrafa e enchi com água. Preparei algumas garrafas e deixei guardadas para quando fosse usar. Passei a usar esse adubo líquido diluído na água na mesma medida que usava o húmus puro com excelentes resultados.

A princípio eu só usava nas forrações até que o Antonio, que sempre dá ótimas dicas nos seus comentários aqui no blog, perguntou sobre o compost tea e pesquisando sobre isso e vendo os resultados resolvi aperfeiçoar meu adubo líquido improvisado e usar não só nas forrações, mas em todas as plantas porque é bem mais prático do que revolver a terra a cada 30 dias, lembrando que eu tenho seixos em todos os vasos, então haja unhas, coluna e tempo.

Atualmente eu uso somente esse adubo líquido nas minhas plantas, exceto quando planto sementes e faço transplantes, nesses casos uso húmus com torta de algodão e uma outra mistura específica, respectivamente. Uso também as misturas que já passei no post anterior sobre adubos a cada 4 ou 6 meses nos vasos mais para renovar a terra.

Adubo Líquido

Quando eu preparo o adubo líquido faço sempre dois tipos de garrafa: uma com húmus+torta de algodão e outra com húmus+farinha de osso+torta de algodão. Uso ambas tanto como adubo foliar quanto na rega, sendo que uso mais como adubo foliar do que nas regas, mas uso de ambas as formas periodicamente.

Dos dois tipos de adubos líquidos que eu preparo uso com mais frequência somente o húmus+torta de algodão do que o húmus+torta de algodão+farinha de osso dependendo da época do ano. Nesse momento tenho usado mais o húmus+torta de algodão por ser outono e a maioria das plantas já não estarem mais em período de floração.

Já uso esse adubo líquido há algum tempo e posso dizer que é incrível o efeito quando borrifado diretamente na planta. As folhas ficam com a cor mais vibrante, começam a crescer novas brotações ou se for uma planta florífera aparecem botões (dependendo da época de floração), de uma forma geral a planta fica mais saudável e começa a se desenvolver melhor. É um adubo realmente muito eficiente e prático.

Como Fazer

Vou passar as medidas que eu uso para garrafas de 500ml. Caso use maiores basta fazer uma proporção, mas as de 500ml duram porque o adubo ainda é bem diluído para ser usado, mas dependendo da freqüência do uso vão ser necessárias algumas garrafas.

- Coloque na garrafa 4 colheres de sopa de húmus de minhoca e 1 colher de sopa de torta de algodão. O melhor é usar um funil para fazer isso. Para fazer a garrafa com húmus+torta de algodão+farinha de osso basta acrescentar uma colher de sopa de farinha de osso;

- Encha a garrafa com água;

- Tampe a garrafa e agite bem;

- Deixe a garrafa dentro de um local sem incidência de sol direto, preferencialmente dentro de um armário ou em local arejado e agite todos os dias durante uma semana;

- Depois de uma semana o adubo está pronto para ser usado e você vai ter um chá cheio de macro e micronutrientes;

- No dia anterior ao que você vai começar a usar o adubo não agite a garrafa.

Como Usar

Primeiramente abra a garrafa com cuidado e aos poucos para tirar a pressão. Prepare-se porque o cheiro não é nada agradável. Caso a pressão faça com que a parte sólida e a parte líquida se misturem muito, feche novamente e espere até o dia seguinte para decantar.

Depois de aberta a garrafa dilua 1 parte do chá para 10 partes de água e coloque em um borrifador. Borrife todas as plantas. Faça isso sempre no fim da tarde já sem sol.

Para usar o adubo líquido na rega eu faço a mesma diluição de 1/8 ou um pouco menos 1/6.

Apesar de parecer um inocente chá de adubos orgânicos ele é bem concentrado, então eu prefiro usar diluído e bem diluído. Já vi algumas pessoas comentarem que usam puro, mas eu prefiro a cautela e além disso as medidas que estou passando pra vocês funcionam muito bem porque já uso faz algum tempo. Quem quiser pode usar o chá menos diluído, mas sugiro que reduza aos poucos a quantidade de água para ver como as plantas vão reagir.

Com que Freqüência Usar

Eu uso esse adubo líquido como adubo foliar (borrifando nas plantas) uma vez por semana. Normalmente uso a mistura húmus+torta de algodão e a cada 30 dias uso húmus+torta de algodão+farinha de osso.

Nas regas eu uso húmus+torta de algodão+farinha de osso a cada 15 dias.

Percebe-se que eu uso frequentemente, mas prefiro assim, adubo em doses homeopáticas, pelo menos para mim e para minhas plantas percebo que é algo que funciona bem. Esse é um dos motivos pelos quais faço uma boa diluição, porque uso toda semana e adubo em excesso não é saudável para as plantas.

Read Full Post »


Eu já falei sobre os tipos mais comuns de adubos orgânicos no outro post, agora vou falar sobre como utilizá-los, mas sempre da forma mais prática possível.

A forma mais usual de usar esse tipo de adubo é misturando à terra, mas antes de misturar à terra já deixe preparadas misturas específicas que vão facilitar a sua vida a cada adubação.

Misturas de Adubos

A base de qualquer mistura que eu faço é o húmus e a ele acrescento o que for necessário para criar um adubo equilibrado e rico em nutrientes priorizando o nitrogênio ou o fósforo dependendo da planta que vou adubar.

O ideal é usar duas misturas distintas sendo uma para ervas, temperos e folhagens em geral e outra para floríferas e frutíferas. Eu confesso que uso só uma porque a grande maioria das minhas plantas são floríferas ou frutíferas (faça o que eu digo, não faça o que eu faço).

No caso das ervas, temperos e folhagens o primordial para essas plantas é que a folhagem se desenvolva então coloque pouca farinha de osso na mistura e priorize a torta de algodão que é rica em nitrogênio como já expliquei no outro post sobre adubos orgânicos. Para isso sugiro a seguinte mistura:

12 col. de sopa de húmus de minhoca

6 col. de sopa de torta de algodão

2 col. de sopa de farinha de osso (se preferir nem coloque a farinha de osso)

Para floríferas e frutíferas o ideal é aumentar o teor de fósforo do adubo, então apenas modifique a mistura acima invertendo as quantidades de torta de algodão e farinha de osso.

Meu pote fofo com a mistura de adubos que eu uso

Eu faço a mistura em um potinho pequeno porque ultimamente só uso em transplantes de mudas jovens (raramente em transplante de mudas recém-compradas e já adultas) e nesse caso os vasinhos não são grandes então uso pouca quantidade de adubo. Caso você faça uma mistura em pote maior faça a proporção entre cada item.

Como usar

- Se tiver argila expandida, casca de pinus, seixos ou qualquer coisa parecida no vaso, retire tudo. Caso você tenha, nesse momento vai desejar que não tivesse;

- Revolva superficialmente o substrato de forma delicada para não machucar as raízes. Eu uso sempre o ancinho do meu mini kit de jardinagem pra isso;

Mini ancinho

- Faça uma cova ao redor de toda a planta num ponto que fique entre a borda do vaso e o caule. Tome cuidado para não machucar as raízes. Não faça a cova muito próxima do caule porque mesmo sendo um adubo orgânico isso não é o ideal;

- Na cova coloque a quantidade recomendada da mistura que você fez. Espalhe a quantidade por vários pontos da cova. Evite colocar tudo no mesmo lugar;

- Misture bem o adubo ao substrato, resolvendo com um ancinho ou com uma pá;

- Depois de adubar sempre regue a planta. Faça uma rega mais abundante do que o normal, mas sem ser exagerada.

Com que Freqüência Usar

Eu usei por muito tempo o seguinte esquema de adubação:

- A cada 30 dias húmus de minhoca;

- A cada 60 dias húmus, farinha de osso e torta de algodão (mistura pronta).

Esse esquema é ótimo e funciona super bem, mas recentemente passei a usar um composto líquido como adubo foliar feito a partir do húmus e da torta de algodão, além disso uso outro composto líquido feito com húmus, farinha de osso e torta de algodão periodicamente nas regas, mas vou explicar tudo no próximo post. E ainda uso, mas com menos frequência, a mistura dos adubos direto no substrato.

Fiquem atentos para os próximos capítulos… : )

Read Full Post »


Um dia, depois de preparar minha mistura tradicional de adubos, lembrei que nunca havia passado essa dica aqui no blog, comecei então a escrever um post sobre adubos. Depois de muito escrever vi que o post foi ficando imenso e ainda havia uma infinidade de coisas pra escrever e explicar e eu ainda nem tinha colocado as fotos. Cheguei a conclusão que eu ia ter que fazer uma série sobre adubos porque um post só não ia ser suficiente. Resumindo: o assunto rende e esse é o primeiro post de alguns que vão vir sobre adubos orgânicos.

Como eu disse tem muita coisa pra explicar e várias dicas que eu posso dar pra vocês das experiências que eu tenho com a adubação orgânica, então nesse post vou falar resumidamente sobre os adubos mais usados e dar algumas dicas sobre o uso. Em próximos posts vou falar sobre como usar os adubos das formas mais práticas.

Os Principais Adubos Orgânicos

Húmus de Minhoca

Húmus de minhoca é básico. Se você não usa, passe a usar urgente. Só com ele você e suas plantas já tem meio caminho andado para a felicidade.

O húmus tem macro e micronutrientes e por isso proporciona uma nutrição bem completa e equilibrada para as plantas. Uma das grandes vantagens do húmus é que ele ajuda a recuperar solos cansados e já pobres em nutrientes. Por isso ele deve ser usado misturado ao substrato no plantio e no transplante e durante a manutenção deve também ser usado com mais frequência do que os outros adubos, especialmente em vasos, para manter o substrato saudável e conseqüentemente também as plantas.

Sugestão de uso: em plantios (sementes, mudas novas ou transplante) eu uso 3 partes de substrato para 1 parte de húmus. Para adubação mensal uso 2 col. de sopa para vasos pequenos (quando eu digo pequeno não é vaso de violeta, são vasos que tenham por volta de 20 cm de altura), 4 col. de sopa para vasos médios e 8 col. de sopa para vasos grandes. Isso é apenas para se ter uma idéia da quantidade. Se estiver em dúvida coloque “de menos”, não exagere.

Torta de Algodão

De torta não tem nada, na verdade é um farelo de algodão que é rico em nitrogênio. Eu adoro esse adubo e uso periodicamente.

Sugestão de uso: use na proporção de 1 parte de torta de algodão para cada 4 ou 8 partes de húmus dependendo das necessidades da planta.

Farinha de Osso

Também gosto muito da farinha de osso e uso periodicamente junto com o húmus e a torta de algodão. A farinha de osso é rica em fósforo e cálcio.

Sugestão de uso: use na proporção de 1 parte de farinha de osso para cada 4 ou 8 partes de húmus dependendo das necessidades da planta.

Torta de Mamona

A torta de mamona assim como a torta de algodão é rica em nitrogênio, porém é tóxica para animais. Meus gatos não costumam fuçar a terra dos vasos, até porque minha varanda é território proibido para eles, mas como há um substituto excelente não há motivo para arriscar. Prefiro não conviver com o risco por menor que seja. Mas para quem usa há até uma mistura pronta de torta de mamona e farinha de osso.

Sugestão de uso: use na proporção de 1 parte de torta de mamona para cada 4 ou 8 partes de húmus dependendo das necessidades da planta.

Esterco

A concentração de nutrientes do esterco pode variar muito e ele só deve ser usado curtido, jamais fresco. Você deve usar 1kg de esterco bovino curtido para cada 10 litros de água e deixar curtir por 10 dias. Normalmente o esterco é vendido já curtido e você só precisa colocar na água.

Eu prefiro o húmus ao esterco. Nunca usei esterco, é verdade, mas sinceramente não tenho a menor intenção de usar. O húmus é mais seguro e mais prático.

Sugestão de uso: diluir 1 parte do líquido do esterco curtido em 10 partes de água e usar na rega.

Compostagem

Há varias formas de fazer compostagem e de usá-la. A compostagem é muito interessante por aproveitar toda e qualquer sobra de matéria orgânica e é um excelente adubo para as plantas. Como sugestão vou deixar esse post do blog que fala sobre como fazer compostagem em garrafa pet.

http://saberesdojardim.wordpress.com/2010/08/26/compostagem-em-garrafa-pet-2/

Como Escolher o Adubo

Primeiramente húmus é vida. Então use húmus sempre, independente da planta. Quanto aos outros adubos você deve ter em mente o seguinte:

- Nitrogênio: estimula o crescimento foliar e o colorido mais intenso e vivo das folhas.

- Fósforo: estimula formação de flores, frutos e raízes.

- Potássio: fortalece as raízes e torna as plantas mais resistentes à doenças e pragas.

Portanto quando você desejar estimular floração e frutificação opte por adubos ricos em fósforo, como a farinha de osso. Caso queira estimular novos brotos e dar vida à planta prefira adubos ricos em nitrogênio, como torta de algodão e torta de mamona. Em casos de plantio ou transplante, especialmente de mudas jovens, opte por adubos ricos em potássio (o húmus é rico em potássio, um dos seus macronutrientes).

Com que Freqüência Adubar

Isso vai depender de quais adubos você usa e de como usa. Vou falar mais sobre a frequência e como usar os adubos nos próximos posts.

Quando Adubar

A melhor lua para adubar é a minguante e em geral o ideal é adubar da primavera até o outono e parar a adubação no inverno.

Vantagens dos Adubos Orgânicos

São tantas… mas eu sou suspeita porque sou meio xiita no que diz respeito aos adubos orgânicos. Claro que o adubo químico também tem suas vantagens, mas é e sempre será química pra mim, com ou sem vantagens, então se eu puder não usar, não uso.

Mas vamos às vantagens dos adubos orgânicos:

- São liberados lentamente no solo;

- Seu efeito tem uma durabilidade maior;

- Além de nutrir o substrato evitam que fique compacto;

- Não oferecem risco se usados em excesso, pois não queimam a planta (o que não quer dizer que você pode chutar o balde e entupir sua planta de húmus).

Caso você nunca tenha usado adubos orgânicos vale a pena experimentar. Eles levam mais tempo para agir, mas os efeitos são maravilhosos e duradouros, as plantas ficam muito saudáveis e a probabilidade de você matar alguma planta sua por excesso de adubo é mínima. Os adubos químicos agem rápido, às vezes dois dias depois você já vê diferença, mas seu efeito passa rápido, precisam ser usados com mais frequência e eles oferecem um grande risco se o uso não for adequado. É muito comum pessoas perderam plantas lindas por erro na quantidade de adubo usada.

Eu já usei adubos químicos (meu passado é negro), mas depois que passei a usar orgânicos nunca mais.

Read Full Post »


Já que eu falei sobre o fungicida natural para tomateiros, vou falar sobre outras dicas de cultivo para os tomates, porque quem cultiva ou já tentou cultivar tomates sabe que mantê-los saudáveis não é tão fácil. Tomates são sensíveis e suscetíveis a um grande número de doenças. A questão é que se você souber cultivá-los se tornam plantas fáceis de manter, que te dão de presente frutos maravilhosos.

Esses foram os primeiros tomatinhos que cresceram desse tomateiro

Eu mesma passei muito tempo tentando cultivá-los com pouco sucesso e hoje vejo que perdia plantas lindas e sadias que acabavam ficando doentes porque eu simplesmente não sabia que o tomate, a vítima, tinha certas preferências e restrições para ser feliz. Mas como eu adoro tomateiros, é uma das plantas que eu mais gosto de cultivar, eu insisti, pesquisei e tentei até conseguir bons resultados.

Local Ideal

Sol pleno ou pelo menos 4 horas de sol diárias é o ideal. Já cultivei bem tomates à meia sombra, só que demoram mais a frutificar, frutificam menos (mas a qualidade dos frutos é boa da mesma forma, só aparecem em menor quantidade) e é preciso tomar mais cuidado com as regas para não serem excessivas já que com menos sol a tendência é a umidade se manter por mais tempo.

Quanto ao vaso, se for o caso, não precisa ser grande, tomates não crescem tanto normalmente, dependendo da variedade, mas, no geral, um vaso de 30 a 40cm de altura vai bem. Pode ser um pouco menos ou mais. Eu acho essa medida ótima.

Plantio

Prefira usar sementes de tomates que você consumiu do que aquelas compradas em saquinhos. Eu pelo menos sempre tive mais sucesso com sementes que eu mesma recolhi dos tomates do que com as de saquinho.

Escolha que tipo de tomate quer plantar, cereja, santa clara, italiano, red grape, etc, corte ao meio e retire a polpa com as sementes. Coloque numa peneira, lave em água corrente para tirar a polpa e coloque as sementes sobre um papel toalha ou sobre um pano e deixe secar bem. Normalmente eu deixo de um dia pro outro ou coloco de manhã e tiro à tarde. Depois é só plantar ou guardar para plantar depois.

Flores do tomate

As minhas sementes obtidas dessa forma normalmente germinam em no máximo 3 dias e as plantas crescem mais vigorosas e saudáveis. Pelo menos na minha experiência com tomantes é o que sempre ocorre. Qualquer dia eu faço a experiência semente fresca x semente de saquinho e mostro no blog ; ) Aliás se alguém se habilitar a fazer a essa experiência eu faço um post e coloco aqui.

Ao fazer o plantio prefira já plantar no local definitivo. Tomates são sensíveis especialmente recém-transplantados.

Rega

Não deixe a terra muito úmida. Tomates gostam de água, mas procure esperar que a terra seque na superfície entre uma rega e outra, ficando apenas levemente úmida. Não deixe secar demais, mas evite afogar a planta porque propicia o aparecimento de fungos e outras doenças.

Para tomates vale o meio-termo, nem mais, nem menos. Se a superfície estiver seca e a parte de baixo (1cm) estiver levemente úmida, regue, se a superfície estiver úmida, não regue.

Não molhe as folhas e flores, exceto se o tomateiro estiver com fungos e você for utilizar o leite como fungicida. Nesse caso borrife nas folhas, mas sem excesso, como já foi explicado no post específico sobre isso.

Adubo

O básico que eu uso para todas as minhas plantas é: húmus, farinha de osso e torta de algodão. Faço uma adubação com todos eles a cada 60 dias.

Para tomates, porém, você pode e deve acrescentar o leite e o sulfato de magnésio ou leite de magnésia. Eu uso o adubo líquido que mostrei aqui no blog nas regas uma vez por semana e uso o leite (diluído obviamente) diretamente nas folhas como adubo foliar e preventivo para fungos também uma vez por semana sempre aplicando no fim da tarde sem sol. Acredite, faz muita diferença!

O sulfato de magnésio eu coloco ao redor da planta e misturo à terra a cada 30 dias como faço com os outros adubos. Eu uso uma colher de sopa para um vaso grande. O leite de magnésia quem sugeriu foi o Othon, leitor do blog, que deu essa ótima dica em um dos comentários do post. A sugestão é usar de 5 a 10% do leite de magnésia diluído em água para aplicar nas folhas como adubo foliar. Aqui eu tenho preferido usar na rega junto com o adubo líquido e as folhas dos tomateiros ficam lindas. Tomates costumam ter deficiência de magnésio por isso é bom utilizar o sulfato ou o leite, que funcionam como um adubo para prevenir o problema. Você encontra sulfato ou leite de magnésia em qualquer farmácia.

Polinização e Poda

Assim como as pimentas, os tomates, quando cultivados em vasos, podem perder flores sem formar frutos muitas vezes por falta de polinização. Por isso fiz um post no blog sobre a polinização manual dos tomateiros e também ensinando como fazer a poda de forma que a planta cresça mais e tenha maior produção.

Colheita

Eu sempre espero os tomates amadurecerem no próprio pé para colher. Quando estão maduros basta torcer o tomate que ele se solta. Se ele não soltar numa só torção vá girando até que ele se desprenda. Eu prefiro usar esse método ao corte pelo menos no caso dos tomateiros.

Depois de colher se você quiser guardar algumas sementes basta cortar ao meio e retirar a polpa colocando-a numa peneira. Lave as sementes retirando o excesso da polpa na torneira e depois coloque-as sobre um pano seco ou um papel toalha até que sequem completamente. No caso de sementes de tomates eu prefiro secar no pano seco.

Se você já tentou várias vezes e nunca teve sucesso com tomateiros ou se pensa em tentar, mas nunca planta a bendita sementinha, anime-se, porque é muito gratificante o cultivo dessa planta e traz um enorme aprendizado.

Catálogo de Espécies

Nesse post vou colocar a foto do fruto de cada espécie que eu cultivar. O post vai ganhar novas fotos ao longo do tempo.

Clique na primeira foto e passe uma a uma para ver toda a galeria ou clique em cada foto individualmente para ampliar.

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 711 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: